João e Jesus

[ Nova Série Bíblica ]  
"João - o discípulo amado" é o nome da nova série do blog que teremos aqui em 3 partes: hoje, terça e quinta-feira. O tema de hoje é sobre a relação próxima que João teve com o seu Mestre Jesus e para os próximos dias o foco será no conteúdo de suas cartas às igrejas.
João era um discípulo de Jesus e foi escolhido juntamente com seu irmão Tiago. Eles eram filhos de um homem que tinha posses e trabalhavam como pescadores. 
Mas o que sabemos mais sobre João já que nos evangelhos ele não é muito citado? O que sabemos é que ele se tornou parte daquele grupo mais chegado de Jesus e pelos detalhes nós vemos como Jesus lhe estimava e como ele conheceu profundamente o seu Mestre.
Nós vamos ver neste pequeno texto o quanto Jesus impactou João e imprimiu nele sua marca e isso veio refletir em seus futuros escritos. 

O Evangelho de João

O Santo Evangelho segundo João é considerado como o mais espiritual dos evangelhos e não é para menos, pois neste livro nós encontramos passagens que não há em nenhum outro evangelho e elas são profundas e tocantes.
Eu mesma quando estava fazendo a série bíblica "Dezembro para Jesus", ao estudar várias dessas passagens e mesmo já as conhecendo, me senti muito tocada pelo Espírito Santo e Deus falou ao meu coração profundamente. Realmente é uma mensagem mais direcionada para quem já tem algum conhecimento das Escrituras e segue o Senhor.

João era um dos 3 discípulos mais íntimos de Jesus e nós vamos ver que eles tiveram um relação de amizade muito bonita e profunda.
Do começo do evangelho de João até o seu fim podemos ver toda a devoção de João ao seu Mestre.
Mas o que esse evangelho tem de tão diferente e especial? 
Vejamos: 

O evangelho de João possui 21 capítulos e inicia dizendo sobre a natureza divina de Jesus, se referindo a Ele como o "Verbo" (Palavra) e que Ele já existia desde o princípio, o começo de tudo, e que Ele é o próprio Deus..
"Ele estava no princípio com Deus.
Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez."

Em seguida João começa a falar de outro João, nesse caso o Batista, que preparou o caminho do Messias:
"Não era ele a luz, mas para que testificasse da luz."

Então é assim que começa.
Ele relata ainda um pouco do ministério de João Batista e em seguida relata a chamada dos primeiros discípulos.
O primeiro milagre de Cristo é relatado por João quando em um casamento a água é transformada em vinho.

Agora, vou citar alguns encontros superimportantes que o Filho de Deus teve e foi relatado pelo seu querido amigo João: 

 - Jesus e Nicodemos.
 - Jesus e a mulher de Samaria.
 - Jesus e a mulher adúltera.

Esses encontros fugiram à regra da época porque Jesus sempre foi maior do que a Lei e ele estava ali para cumprir a Lei e oferecer a sua Graça. E por meio dessas situações onde Ele teve contato com essas pessoas, nós tiramos grandes lições. 
Somente um amigo muito chegado para nos trazer informações tão preciosas, não é verdade?


Também no evangelho de João nós vemos alguns dos milagres que Cristo operou, como: 

 - O paralítico de Betesda.
 - O cego de nascença.
 - A ressurreição de Lázaro.




 

João relatou ainda sobre os embates que o Mestre travou com os religiosos daquela época que por se considerarem doutores da Lei de Moisés e por causa também do grande orgulho que tinham em seus corações e da hipocrisia em que viviam, não creram em Jesus, não o reconheceram como o Messias e o perseguiram até a morte.     
João contou tudo isso para ficar registrado nas Sagradas Escrituras.
Pois, o que adianta dizer que ama a Deus se não ama o seu próximo? O que adianta dizer que obedece à lei do Pai se não recebe o seu Filho que Ele enviou? 
Hipocrisia que fala, né? 

João aprendeu MUITO com Jesus.
Ele podia não falar muito, não era tão extrovertido como Pedro ( tema da próxima série do blog) mas João estava lá, do ladinho de seu Mestre, vendo e ouvindo tudo.
E como ele aprendeu, não é?


E então chegamos nos discursos que Jesus proferiu e que tinha um sentido totalmente espiritual que os religiosos, dada a sua superficialidade no conhecimento de Deus, não compreenderam nem um pouco: 

 - Jesus o Pão da Vida.  
 - Jesus a Luz do Mundo.
 - Jesus o Bom Pastor.
 - Jesus o Caminho, a Verdade e a Vida.
 - Jesus a Videira.

Todas essas mensagens mostram o grande amor do Senhor por nós e a Sua relação com os seus seguidores, quer dizer, a Sua Igreja.
E naqueles últimos dias de seu ministério aqui na Terra, o Mestre falou muito com os seus discípulos (como por exemplo, alguns dos discursos acima citados) e depois ainda Ele orou pelos seus discípulos. Uma oração MARAVILHOSA, quando orou por si mesmo, pelos seus amigos e por todos os que ainda viriam crer nele. (e aqui estamos nós.) 

O amor 


João acompanhou tudo isso e foi fortemente tocado. 
Foi ele quem estava lá na última ceia bem pertinho de seu grande amigo e tinha intimidade tamanha para se recostar no peito de Seu Mestre: 

"Ora, um de seus discípulos, aquele a quem Jesus amava, estava reclinado no peito de Jesus.
E, inclinando-se ele sobre o peito de Jesus, disse-lhe: Senhor, quem é?" 

Você já percebeu que João chamava Jesus de "Senhor"? 
Jesus o amava muito, tinha um carinho especial por ele e ele por sua vez demonstrava uma devoção linda...
Eram amigos íntimos. Se conheciam muito bem.

E quando Jesus estava pregado naquela cruz já para morrer, o seu amigo querido também estava lá, próximo, olhando para ele: 
 
"Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho.
Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa."   

Quando o Mestre ressuscitou, João foi correndo juntamente com Pedro para ver o sepulcro e o encontraram vazio.
Pedro entrou primeiro no sepulcro (era impulsivo) e João ficou do lado de fora. Mas quando resolveu entrar e viu como estava, ele creu.

E por fim, quando os discípulos já haviam se reencontrado com o Mestre querido, um dia alguns deles resolveram pescar e foram para o mar. Ficaram a noite toda à espera dos peixes mas nada apanharam.
Foi quando de manhã Jesus apareceu por lá mas eles não o reconheceram. Não, teve um que reconheceu e esse foi João.  
Isso nos mostra o quanto ele conhecia Jesus. Apenas ele reconheceu o Senhor:

"Então aquele discípulo, a quem Jesus amava, disse a Pedro: É o Senhor."

Tem coisa mais linda do que essa? 

E o Santo Evangelho segundo João termina com o relato da restauração de Pedro (certamente Pedro também era especial para João).
Jesus estava conversando com Pedro, lhe entregando uma grande missão quando diz a este: "Segue-me!"
Quando Pedro se volta e vê que "o seguia aquele discípulo a quem Jesus amava, e que na ceia se recostara também sobre o seu peito, e que dissera: Senhor, quem é que te há de trair?"

Veja só: João só queria mesmo ir atrás de Jesus. (eles deviam ter combinado isso).
Pedro ficou sem entender nada e perguntou: "Senhor, e deste que será?"
Jesus: "Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti? Segue-me tu!"
Coisas de grandes amigos... 


Reflita: 

Jesus enquanto esteve aqui na Terra exerceu o seu ministério espiritual mas também, como ser humano que era, teve vida social, era convidado para festas e jantares e também teve amigos.  
Ele escolheu homens para serem seus discípulos porque sabia que a obra era grande e estes dariam continuidade ao seu ministério levando as boas-novas do Evangelho. 
E esses discípulos se transformaram também em seus amigos. 
Jesus acreditava nas pessoas - ele nunca desistiu do ser humano (exceto Judas, que desistiu dele primeiro).     

Jesus amava as pessoas e valorizava os seus relacionamentos.
Tanto é que cultivou várias amizades: com homens, mulheres...  
Ele tinha o seu grupo mais chegado e João é descrito como "aquele discípulo a quem Jesus amava."
E esse amor era recíproco.
Jesus acreditou em João e confiou nele como um grande amigo (confiou até mesmo sua mãe a ele quando morreu).  
Imagine o privilégio que João teve de além de conviver com o Salvador, vê-lo, ouvi-lo, tocá-lo, ainda poder sentir o Seu amor tão pertinho e ser considerado íntimo.

Jesus e o Seu amor impactou João tão profundamente que foi uma marca eterna.
No evangelho que ele escreveu, com passagens tão únicas e reveladoras e em suas cartas que veremos nos próximos posts desta série, nós entenderemos o resultado dessa proximidade, amizade e amor, pois João também é considerado o apóstolo do amor. 

E se o próprio Jesus, sendo o Filho perfeito de Deus, deu chances e acreditou em seres humanos iguais a nós, por que também não vamos acreditar nas pessoas que temos ao nosso redor e amá-las? 
E como também não amar a Jesus?
João creu em Jesus, o amou e lhe devotou sua fidelidade até o fim.

O amor constrói, o amor transforma e edifica. Ele deixa marcas eternas: 

"Este é o discípulo que testifica destas coisas e as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro." 


Na próxima terça-feira teremos a segunda parte desta série.
Acompanhe e seja edificado pela palavra de Deus.


Fonte bíblica:  

Evangelho de João (leia na Bíblia a santa Palavra).




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SALMO 46 - A Fé Perfeita em Deus

Salmo 6 - " Davi recorre à misericórdia de Deus e alcança perdão "

SALMO 91 - LIVRAMENTO