Jesus nos incentiva a orar

Vou continuar a série de postagens sobre JESUS e hoje eu trago uma história que Ele contou sobre a oração e a perseverança. E como eu disse no último post, eu repito neste: é tão bom ouvir Jesus falar.
Então vamos à leitura: 
LUCAS 18. 1-8 

" DISSE-LHES TAMBÉM uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca desfalecer, 
Dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem.
Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário. 
E por algum tempo não quis atendê-la, mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens, 
 Todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte e me importune muito. 
 E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz. 
E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles? 
 Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra? " 
 Então, como acabamos de ler a palavra pra gente hoje é: ORAR. Orar e não desanimar, não desistir daquilo que nós precisamos porque certamente Deus irá nos atender. 
Imagine que na parábola contada por Jesus haviam dois personagens, bem diferentes um do outro. Eles moravam na mesma cidade mas o homem tinha um cargo de juiz e a mulher era uma simples viúva, certamente desamparada pela sociedade daquela época.
O juiz não era um homem bom, muito pelo contrário. Ele era injusto e mau. Não respeitava ninguém nem mesmo Deus. 
Mas aquela mulher tinha uma causa para ser resolvida e ela não se intimidou. Foi atrás daquele homem terrível e mesmo sem ser atendida, ela não desistiu mas continuou lhe pedindo justiça.
Foi quando esse juiz não aguentou mais e para se ver livre da viúva insistente, lhe concedeu o que ela pedia.
E então Jesus com esta história, nos faz refletir: se até mesmo aquele homem terrível acabou por atender uma pobre mulher QUANTO MAIS DEUS que é o oposto daquele juiz: Ele é bom, justo e misericordioso. 
Portanto, podemos clamar, de dia e de noite, que o Senhor nos ouvirá.
Não importa o seu problema, não importa a sua dor ou o tamanho da injustiça que lhe aconteceu. Ore sempre, persista porque Deus se importa conosco e com tudo o que nos acontece. Ele não é indiferente como aquele juiz era.
Mas não nos esqueçamos de fazer a nossa parte primeiro: pedindo e tendo fé, crendo no Senhor como o JUSTO JUIZ, sendo perseverante como aquela viúva foi.
Ore e espere. Deus tem prazer em nos abençoar.

E para concluir, medite no último versículo quando Jesus nos pergunta: (versículo 8 parte b)

"Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?"

Como está a nossa fé hoje em dia? Será que o Senhor vai achar FÉ em nós ainda?
Você tem orado, tem perseverado e seguido a Jesus? 
Ele vai voltar e quer nos encontrar com fé e firmes nele. 






Comentários