Mulheres da Bíblia: Rute e Ester

 


[ Série Bíblica: Mulheres da Bíblia ]     
Parte III: Hoje falarei sobre Rute e Ester, duas mulheres jovens que dão nome a dois livros da Bíblia. Rute, do povo moabita e a rainha Ester (Hadassa), do povo judeu. 

RUTE 

A história de Rute está registrada no livro bíblico de mesmo nome e tudo começa antes dela aparecer. 
Ainda no tempo dos juízes em Israel, houve fome na terra. Então um homem de Belém de Judá junto com sua mulher Noemi e seus 2 filhos, resolveu ir para outro lugar - Moabe.
Assim ficaram nos campos de Moabe: Elimeleque, Noemi e os filhos Malom e Quiliom.
Elimeleque morreu e os rapazes casaram-se com mulheres moabitas: Orfa e Rute.
Passaram-se quase 10 anos e eles morreram.
Agora, Noemi não tinha mais marido e nem filhos.
Quando ela ouviu falar que a fome havia acabado em sua terra, resolveu voltar para lá.
Ela estava indo acompanhada das 2 noras quando disse à elas: 

"Ide, voltai cada uma à casa de sua mãe; e o Senhor use convosco de benevolência, como vós usastes com os falecidos e comigo.
O Senhor vos dê que acheis descanso cada uma em casa de seu marido. E, beijando-as ela, levantaram a sua voz e choraram."   

Até aqui nós já podemos notar a boa relação que Noemi tinha com as suas noras. Certamente, ela era uma mulher sábia, pois, mesmo numa situação triste e delicada, suas noras não queriam a deixar.
E lhe disseram: 
"Certamente voltaremos contigo ao teu povo." 

Mas Noemi falou: 
"Voltai, minhas filhas. Por que iríeis comigo? Tenho eu ainda no meu ventre mais filhos, para que vos sejam por maridos?
Voltai, filhas minhas, ide-vos embora, que já mui velha sou para ter marido; ainda quando eu dissesse: Tenho esperança, ou ainda que esta noite tivesse marido e ainda tivesse filhos,
Esperá-los-íeis até que viessem a ser grandes? (...)" 

Vendo essa situação nós podemos notar o amor e o cuidado que havia entre essas mulheres e ainda, a preocupação de Noemi com o futuro de suas noras.
Ao nos trazer temas sensíveis desse jeito, a bíblia nos mostra como Deus está sempre atento a tudo o que faz parte da nossa vida.

"Então levantaram a sua voz e tornaram a chorar; e Orfa beijou a sua sogra, porém Rute se apegou a ela."

Foi quando Noemi disse para Rute: 
"Eis que voltou tua cunhada ao seu povo e aos seus deuses; volta tu também após a tua cunhada."  

Mas Rute já havia tomado uma decisão e disse então a Noemi, sua sogra: 

"Não me instes para que te abandone e deixe de seguir-te; porque aonde quer que tu fores irei eu e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus;
Onde quer que morreres morrerei eu e ali serei sepultada. Faça-me assim o Senhor e outro tanto, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti." 

Aqui é quando de fato começa a história de Rute, pois com essa decisão que ela tomou, sua vida mudou para sempre. 
O pedido de sua sogra e mesmo a sua tentativa de fazer suas noras mudarem de ideia, não conseguiu demover a determinada Rute, que já sabia muito bem o que queria.
Sendo de outra região e de outro povo (inimigo de Israel), Rute estava agora decidida a deixar tudo, inclusive sua família e seus deuses, para seguir com Noemi, para outra terra, outro povo e outro Deus.

Nesse ponto, Rute já sabia quem era o Deus de Israel - o verdadeiro Deus e Senhor.

"Vendo ela, pois, que de todo estava resolvida para ir com ela, deixou de lhe falar nisso.
Assim, pois, foram-se ambas, até que chegaram a Belém..."

A partir daí, estando elas em Belém de Judá, a mão do Senhor começa a operar maravilhosamente em suas vidas.
Rute começa a trabalhar no campo na colheita de cevadas.
E ela vai num campo justamente de um homem nobre e influente chamado Boaz.
Ele era da família de Elimeleque. Rico e temente a Deus.
Quando vê a jovem Rute trabalhando (pela sua sobrevivência e de sua sogra), ela o atrai e então ele vai conversar com ela: 
"Ouve, filha minha; não vá colher em outro campo, nem tampouco saia daqui; porém aqui ficarás com as minhas moças."

A humilde Rute então agradece: 
"Então ela caiu sobre o seu rosto e se inclinou à terra; e disse-lhe:
Por que achei graça em teus olhos, para que faças caso de mim, sendo eu uma estrangeira?" 

O justo Boaz diz: 
"O Senhor retribua o teu feito; e te seja concedido pleno galardão da parte do Senhor Deus de Israel, sob cujas asas te vieste abrigar."

Agora, Rute podia contar com a generosidade e proteção de Boaz e garantir assim sustento para ela e para Noemi.
Mas a providência divina sobre a vida de Rute não parou por aí.
Boaz se casou com ela - agora ela tinha um marido novamente.
E eles tiveram um filho: Obede - o qual viria a ser avô do rei Davi e naturalmente da linhagem de Jesus Cristo.
Noemi foi consolada de tudo o que havia sofrido, devido as perdas que tivera, pois agora tinha motivos para sorrir.

O que nós, mulheres, aprendemos com Rute? 

No decorrer de sua história, contada na bíblia, nós vemos uma jovem mulher:

DETERMINADA - LEAL - FIEL - HUMILDE - OBEDIENTE  

Rute fez escolhas. E suas escolhas honraram a Deus.
Ela escolheu adorar e servir o Deus de Israel, permanecendo também ao lado de sua sogra - mesmo após ter perdido o seu marido. Rute tinha compromisso com suas relações. 
E Deus a honrou grandemente.

Ao fazer sua escolha, ela não sabia ainda o que o futuro lhe reservava.
Mas ela já sabia que esse era o melhor caminho a seguir.
Deus sempre vai honrar a nossa fé, a nossa entrega.

******************************************

ESTER

Ester era uma linda jovem judia, orfã, e portanto criada por um parente seu, chamado Mardoqueu.     
Eles viviam como estrangeiros no reino da Pérsia juntamente com o povo judeu.  
Um dia, ela entrou em um concurso de beleza e sua vida mudou para sempre.
O rei Assuero estava precisando de uma mulher que assumisse o lugar deixado pela rainha Vasti - que tinha sido tirada por se recusar a entrar na presença do rei num dos banquetes que ele ofereceu.
Ester, com toda a sua beleza e graça e ainda seguindo as recomendações de Mardoqueu, encantou a todos: 

"Sucedeu que, divulgando-se o mandado do rei e a sua lei e sendo ajuntadas muitas moças na fortaleza de Susã, aos cuidados de Hegai, também levaram Ester à casa do rei, sob a custódia de Hegai, guarda das mulheres.
E a moça pareceu formosa aos seus olhos e alcançou graça perante ele; por isso se apressou a dar-lhe os seus enfeites, e boa alimentação, como também em lhe dar sete moças especiais da casa do rei; e a levou com as suas moças ao melhor lugar da casa das mulheres."  

Mas Ester não dizia da onde era: 
"Ester, porém, não declarou qual era o seu povo e a sua parentela, porque Mardoqueu lhe tinha ordenado que o não declarasse.
E passeava Mardoqueu cada dia diante do pátio da casa das mulheres, para se informar de como Ester estava passando e como a tratavam."   

Ester obedecia a Mardoqueu e ele, por sua vez, tinha muito cuidado e carinho por ela.
E quando chegou o momento de Ester se apresentar ao rei (depois de todos os rituais de beleza que faziam parte do processo): 

"Chegando, pois, a vez de Ester, filha de Abiail, tio de Mardoqueu (que a tomara por sua filha), para ir ao rei, coisa nenhuma pediu, senão o que lhe ofereceu Hegai, eunuco do rei, guarda das mulheres e alcançava Ester graça aos olhos de todos quantos a viam.
Assim foi levada Ester ao rei Assuero, à sua casa real...
E o rei amou a Ester mais do que a todas as mulheres, e alcançou perante ele graça e benevolência mais do que todas as virgens; ele pôs a coroa real na sua cabeça e a fez rainha em lugar de Vasti."   

Ester foi a escolhida.
Antes de se apresentar ao rei ela já havia conquistado a outras pessoas daquele reino.
Isso nos mostra que a sua beleza não era somente no exterior mas no INTERIOR também.
Ester tinha muito mais a oferecer.
E o rei, totalmente encantado com ela, viu que não acharia outra moça melhor do que Ester.

"Então o rei fez um grande banquete a todos os seus príncipes e aos seus servos, que era o banquete de Ester; e diminuiu os tributos das províncias, e deu presentes segundo a generosidade do rei."

Com isso, notamos o quanto o rei estava feliz e satisfeito com a sua escolha, não é verdade? 
A presença de Ester em sua vida fez com que ele desse até mesmo benefícios para o seu povo...

E se nesse primeiro momento da história de Ester nós vemos como a sua beleza impressionou a todos daquele reino, nos momentos seguintes nós iremos perceber um outro lado dessa bela jovem.

Mardoqueu continuava por lá, sempre assentado à porta do rei e também atento a tudo.
Mas chegou um momento difícil para ele e que seria também para todo o povo judeu.
Como Mardoqueu se recusava firmemente a inclinar-se e prostrar-se perante Hamã (um homem que tinha sido engrandecido pelo rei e ocupava posição elevada), sabendo disso Hamã ficou com muito ódio de Mardoqueu e então criou um plano: um terrível plano para acabar com os judeus.

O judeu Mardoqueu ficou inconsolável diante da destruição eminente do seu povo.
Então ele apelou para a rainha Ester.
Ela foi informada de tudo o que estava ocorrendo: do plano de Hamã e de como todo o povo judeu estava de luto, triste e chorando por causa daquela situação.
Pois, se tratava de um decreto autorizado pelo rei.
Ester ficou preocupada mas como ela poderia se apresentar e  falar qualquer coisa com o rei sem que fosse chamada?

Mardoqueu então lhe mandou dizer: 
"Não imagines no teu íntimo que por estares na casa do rei, escaparás só tu entre todos os outros judeus.
Porque, se de todo te calares neste tempo, socorro e livramento de outra parte sairá para os judeus, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se para tal tempo como este chegaste a este reino?" 

Havia chegado o momento de Ester interceder pelo seu povo.
Ela então manda dizer a Mardoqueu:   
"Vai, ajunta a todos os judeus que se acharem em Susã, jejuai por mim e não comais nem bebais por três dias, nem de dia nem de noite, e eu e as minhas moças também assim jejuaremos. E assim irei ter com o rei, ainda que não seja segundo a lei; e se perecer, pereci."   

Nesse momento a rainha Ester tomou a decisão de fazer algo pelo seu próprio povo não importando qual fosse o resultado de tal ação.
Ela jejuaria por 3 dias (em súplica pelo favor de Deus) e então se apresentaria ao rei... 

"SUCEDEU, POIS, que ao terceiro dia Ester se vestiu de suas vestes reais e se pôs no pátio interior da casa do rei, defronte do aposento do rei; o rei estava assentado sobre o seu trono real, na casa real..
E sucedeu que, vendo o rei à rainha Ester, que estava no pátio, alcançou graça aos seus olhos; e o rei estendeu para Ester o cetro de ouro, que tinha na sua mão, então, Ester chegou e tocou a ponta do cetro.
Então o rei lhe disse: Que é que queres, rainha Ester, ou qual é a tua petição? Até metade do reino se te dará." 

Ester, pois, convidou o rei, junto com Hamã, para um banquete que ela havia preparado.
Chegando no banquete, o rei lhe perguntou o que ela desejava e ela o convidou, juntamente com Hamã, para outro banquete.
E foi assim que, nesse segundo banquete, a rainha Ester denunciou o perverso Hamã e todo o seu plano: 

"Se, ó rei, achei graça aos teus olhos e se bem parecer ao rei, dê-se-me a minha vida como minha petição e o meu povo como meu requerimento.
Porque fomos vendidos, eu e o meu povo, para nos destruírem, matarem e aniquilarem de vez; se ainda por servos e por servas nos vendessem, calar-me-ia; ainda que o opressor não poderia ter compensado a perda do rei."   

O rei então lhe pergunta: 
"Quem é esse e onde está esse, cujo coração o instigou a assim fazer?" 

Ester lhe responde: 
"O homem, o opressor e o inimigo, é este mau Hamã." 

Com isso, todo o plano de Hamã, de exterminar os judeus, foi por água abaixo.
E, a forca que ele já havia mandado fazer para enforcar nela a Mardoqueu, serviu para ele mesmo.
Hamã recebeu do rei a pena de morte e foi enforcado.
O inimigo de Mardoqueu e de todo o povo judeu, foi destruído.
Agora, eles não precisavam mais se preocupar e temer por suas vidas. 
A sorte mudou por completo: agora o novo decreto era em favor dos judeus.
"E para os judeus houve luz, alegria, gozo e honra." 

Por intermédio de uma mulher, veio livramento e vitória para o povo de Deus.
Deus esteve agindo em todo o tempo e no controle de tudo mas é necessário que haja pessoas para agir em determinadas situações.
E Ester aceitou o desafio.
Ela se prontificou a suplicar ao rei pelo seu povo.

E o que nós, mulheres, aprendemos com Ester?   

De nada adianta a beleza sem a graça, simpatia e educação. 
O que adianta chegar em uma alta posição e se esquecer de onde veio e do seu povo?
Do que adianta estar em uma posição privilegiada e não fazer o que deve ser feito? 

Ester acertou em tudo.
Com a sua beleza ela conquistou o rei Assuero.
E com a sua coragem e liderança, ela conseguiu triunfo para todo o seu povo.
Ela se importou com os seus e não se esqueceu de sua origem.
Portanto, Deus a honrou.

Textos bíblicos: 
Livro de Rute
Livro de Ester

Consulta: 
A Bíblia da Mulher (Sociedade Bíblica do Brasil)   

Outros posts da série: 





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SALMO 46 - A Fé Perfeita em Deus

Salmo 6 - " Davi recorre à misericórdia de Deus e alcança perdão "

SALMO 91 - LIVRAMENTO