O sonho de Ana

[Série Bíblica: Deus realiza sonhos - Parte II] Hoje na continuação da série vou falar sobre Ana, uma mulher que tinha um sonho impossível, pois era estéril. Além de tudo, a esterilidade naquela época era considerada uma desgraça e ela ainda tinha que conviver com as provocações de Penina. A vida de Ana não era fácil.  
Porém ela tinha o amor de seu marido e era uma serva de Deus. 
Ter filhos não passava de um sonho para Ana contudo, ela nunca deixou de adorar o Senhor. 
Como não havia meios de mudar sua situação de esterilidade, ela seguia com sua vida. 

 A vida de Ana

"... Penina tinha filhos, porém Ana não os tinha.
E a sua rival excessivamente a provocava, para a irritar; porque o Senhor a tinha tornado estéril.
... quando ela subia à casa do Senhor [com o seu marido Elcana], assim a outra a irritava; pelo que chorava e não comia.  

Então Elcana, seu marido, lhe disse: Ana, por que choras? E por que não comes? E por que está mal o teu coração? Não te sou eu melhor do que dez filhos?" 

Essa era a vida de Ana.
Esterilidade, provocações, choro e muita tristeza, a ponto de deixar de comer. 

Na nossa vida também podem ocorrer situações que não podemos mudar.
Por mais que desejemos, não acontece.
E a tristeza e frustração são inevitáveis.

Ana no tabernáculo

"Então Ana se levantou, depois que comeram e beberam em Siló... 
Ela, pois, com amargura de alma, orou ao Senhor e chorou abundantemente.
E fez um voto, dizendo: Senhor dos Exércitos! Se benignamente atentares para a aflição da tua serva, de mim te lembrares e da tua serva não te esqueceres, mas à tua serva deres um filho homem, ao Senhor o darei todos os dias da sua vida e sobre a sua cabeça não passará navalha." 

Mesmo amando muito Ana, seu marido não a compreendia.
Ao vê-la chorar, ficar sem comer e imersa em tristeza profunda, Elcana a questionava se ele não era suficiente pra ela.
É assim mesmo: tem coisas na vida que nem mesmo nossa família ou amigos podem ajudar por mais que nos amem.

Foi quando Ana mudou de atitude: dentro de si ela tomou uma decisão. 
Se levantou, comeu e bebeu e chegou a casa do Senhor.
Ela então, muito amargurada, orou e chorou perante Deus.
Ela abriu o seu coração:

"... tenho derramado a minha alma perante o Senhor. 
... porque da multidão dos meus cuidados e do meu desgosto tenho falado até agora." 

Você está com a alma aflita e o coração em desgosto? 
Chegue-se a Deus em oração e fale com Ele.
Conte qual é o motivo das tuas lágrimas e qual é seu desejo mais profundo.
Coloque os teus sonhos nas mãos daquele que faz até o impossível.  

O sacerdote Eli também não compreendeu Ana e a julgou embriagada, pois sua oração foi no coração.
Mas ao saber que ela estava "atribulada de espírito" , ele lhe disse: 

"Vai em paz e o Deus de Israel te conceda a petição que lhe fizeste."

E disse ela: Ache a tua serva graça aos teus olhos.
Assim a mulher seguiu o seu caminho, comeu e o seu semblante já não era triste.

E levantaram-se de madrugada e adoraram perante o Senhor; (...) 

Qual é a tua petição, qual o teu sonho? 
Peça ao Deus de Israel e siga o teu caminho.
Continue a viver normalmente, fazendo o que deve ser feito e adorando o Senhor, pois coisas grandes vão acontecer.



O sonho realizado

Para uma mulher estéril gerar filhos naturalmente, só mesmo por um milagre.
E o milagre aconteceu: 

"... e o Senhor se lembrou dela."   

Chegou o dia de Ana.
Chegou a sua vez.
Pois, o que ela havia derramado perante o altar (seu choro, sua alma e coração) agora estavam diante daquele que tem o poder de mudar histórias e realizar sonhos impossíveis.

Vá até a presença de Deus, pois um dia, Ele irá se lembrar de você. 

"E sucedeu que, passado algum tempo, Ana concebeu e deu à luz um filho, ao qual chamou Samuel; porque, dizia ela, o tenho pedido ao Senhor."  

Ana não era mais uma mulher estéril.
Agora, ela era mãe.
Imagine a sua felicidade.
Pronto. Acabaram-se as provocações, a tristeza e o pranto. 

O Deus de Ana realiza sonhos.
Ainda que sejam impossíveis. 

A fidelidade de Ana

Ana curtiu o seu bebê até desmamá-lo.
Samuel tinha por volta de 3 anos de idade agora. 
Então Ana levou o seu pequeno para a casa do Senhor. 
Voto feito, voto cumprido.
Samuel, dedicado a Deus, ficaria lá para sempre. 

E ela disse ao sacerdote: 

"... eu sou aquela mulher que aqui esteve contigo, para orar ao Senhor.  
Por este menino orava eu; e o Senhor atendeu à minha petição, que eu lhe tinha feito.

Por isso também ao Senhor eu o entreguei, por todos os dias que viver, pois ao Senhor foi pedido. E adorou ali ao Senhor." 

Serva obediente e fiel a Deus.
A devoção de Ana é algo muito lindo.  

Voto é algo opcional e pessoal mas uma vez feito o voto, devemos pagá-lo ao Senhor: 

"Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo, porque não se agrada de tolos; o que votares, paga-o." (Eclesiastes 5.4)  


O que mais Deus se agrada é um coração sincero a ele. 

Ana não teve apenas Samuel: 

"Visitou, pois, o Senhor a Ana, que concebeu e deu à luz três filhos e duas filhas; e o jovem Samuel crescia diante do Senhor.
E sua mãe lhe fazia uma túnica pequena e de ano em ano lha trazia, quando com seu marido subia para oferecer o sacrifício anual." 

Sonho de ser mãe realizado para Ana.
E ela continuou sua vida servindo a Deus.

Qual é o teu maior sonho? 
Ele é pequeno, grande, impossível? 
É algo que depende da ajuda exclusiva de Deus para realizá-lo? 
Você já chorou, se sentiu humilhado (a) ou mesmo recebeu a zombaria das pessoas? 

Ana se agarrou à última esperança que tinha: Deus.
Chegou um momento em que ela tomou uma decisão e levou as suas angústias a Deus.
Ela orou e chorou muito e nada disso foi em vão.
Depois, enxugou as lágrimas e seguiu seu caminho. 

E um dia, sua vida mudou.
O que ela mais queria, aconteceu.
Pois, o Deus de Ana é incrível.

As 3 Lições de Ana: 

- Adorar a Deus não importam as circunstâncias.

- Tomar uma decisão em prol do seu sonho: Ana fez uma oração com entrega e reverência a Deus. 

- Continuar sendo fiel ao Senhor.

Texto bíblico: 
I Samuel 1 e 2.19-21 

Leia também: 



A nossa série Deus realiza sonhos volta no domingo com a última história. 

Obrigada.